O Observatório de Aves da Mantiqueira (OAMa) está localizado na Mata Atlântica brasileira, um dos locais mais biodiversos e ameaçados do mundo. Nossa sede encontra-se em um sítio a aproximadamente 1000 metros de altitude na Serra da Mantiqueira, próximo à vila da Fumaça, município de Resende (RJ).

A área abriga matas ciliares e fragmentos de florestas secundárias em expansão, e ainda tem o privilégio de ser vizinha de duas importantes áreas de conservação: o Parque Estadual da Pedra Selada e o Parque Nacional de Itatiaia. Inserido na região rural do Rio de Janeiro, o OAMa é circundado por paisagem de mosaico de pastos abertos para criação de gado, plantios de eucalipto, sistemas agroflorestais, agricultura familiar e florestas secundárias de diferentes idades.

A diversidade de habitats, sob diferentes níveis de interferência antrópica, traz grande variedade de espécies de aves e excelente oportunidade de estudos ecológicos. Quase 200 espécies já foram observadas apenas na área-sede do OAMa e suas vizinhanças.

Mata Atlântica

A composição da Mata Atlântica é originalmente diversa, sendo composta por um mosaico de vegetações definidas como florestas ombrófilas densa, aberta e mista; florestas estacionais decidual e semidecidual; campos de altitude, mangues e restingas. Sua distribuição em território brasileiro se estende desde o extremo Nordeste, no Rio Grande do Norte, até o Sul do país, no Rio Grande do Sul. Estima-se que sua flora inclua cerca de 20.000 espécies vegetais, dentre estas, diversas espécies endêmicas e ameaçadas de extinção.

A fauna da Mata Atlântica é igualmente rica, com quase 1000 espécies de aves, quase 300 espécies de mamíferos, incluindo 24 de primatas, mais de 350 espécies de anfíbios e 200 de répteis.

Atualmente, a Mata Atlântica tem apenas cerca de 15% de sua cobertura original, e as áreas remanescentes são majoritariamente formadas por pequenos fragmentos e florestas secundárias.

A maior ameaça atual a este bioma é a grande densidade populacional. Mais de 70% da população brasileira vive no aproximadamente 13% de terrítório brasileiro sob domínio de Mata Atlântica. Por sua concentrada riqueza de espécies e intenso nível de ameaça, a Mata Atlântica é altamente prioritária para a conservação da biodiversidade mundial.

A Serra da Mantiqueira

De origem tupi, Mantiqueira significa “gota de chuva”, da junção dos termos amana (chuva) e tykyra (gota). Seu nome reflete sua importância para o sistema aquífero da região. Localizada entre os estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo, seus riachos formam o rio Jaguari, o rio Paraíba do Sul e o rio Grande, de grande importância no abastecimento de aguá potável e de energia para as populosas cidades do Sudeste.

O maciço da Serra da Mantiqueira tem cerca de 500 quilômetros de extensão, e seu ponto mais alto, localizado na Pedra de Mina, entre os estados de Minas e São Paulo, atinge 2.798 metros. Por conta de sua altitude, a temperatura pode atingir graus negativos durante o inverno; já durante o verão, a intensa e quase constante preciptação representa a etimologia da palavra Mantiqueira.